O que significa o Sinal da Medular na ultrassonografia veterinária?

Atualizado: 22 de nov. de 2021

Você já deve ter notado algumas vezes a presença de uma linha ou banda hiperecogênica na camada medular de alguns rins, especialmente nos dos felinos. Você sabe o que pode significar?


Sinal da medular em rim - ultrassonografia veterinária
Sinal da medular em rim

O sinal da medular é uma linha ou halo hiperecogênico, caracterizado ao ultrassom, na margem externa da camada medular, paralela à junção córtico- medular. Foi descrita em cães com quadros de doença renais crônicas ou agudas, incluindo nefropatia hipercalcêmica, nefrite intersticial crônica, necrose tubular aguda e ainda em cães sem indícios de disfunção renal. Em gatos, correlaciona- se com vasculite piogranulomatosa e nefrite intersticial crônica.


Alguns estudos concluem que este achado esteja ligado a depósito mineral benigno em animais não nefropatas. Outra hipótese sugere alterações de origem vascular, já que a medula externa seria uma área mais susceptível à hipóxia, até mesmo no rim normal. Acredita-se haver aumento na fibrogênese resultante da hipóxia tubulointersticial crônica, que justificaria o aumento da ecogenicidade nessa região.


Um estudo recente (Cordella et al., 2020), publicado ainda este ano, avaliou a associação do sinal da medular à nefropatia em gatos e propôs uma divisão entre dois tipos de sinal medular (MRS). O que se apresentava como uma linha hiperecogênica fina, de margens bem definidas (MRS – linha) e outro grupo onde havia uma área ou banda hiperecogênica mais espessa, com pobre definição das margens (MRS – banda).


Os resultados obtidos neste estudo foram:

· Prevalência da alteração em 4,6% da população de gatos avaliados;

· Em 99% o sinal medular estava presente bilateralmente;

· Maior prevalência de gatos com a apresentação na forma de linha que de banda, 77% e 23%, respectivamente.

· A linha foi menos associada a nefropatia, estando conectada a indícios de nefropatia em 40% dos gatos com este achado; enquanto na banda, 74% dos gatos eram nefropatas.

· Neste estudo houve maior prevalência deste achado nos animais com maior média de idade;

· Nenhum dos animais deste estudo era suspeito de P.I.F. (Peritonite Infecciosa Felina);

Importante lembrar que a característica mais confiável para identificar nefropatia ao ultrassom é a definição corticomedular, seguida de alterações nos contornos e da dilatação da pelve renal. E a alteração de imagem sonográfica mais frequente em gatos não azotêmicos é o aumento da ecogenicidade da cortical. Referência

Cordella, A.; Pey, P.; Dondi, F.; Dunn, M.; Caramazza, C.; Cipone, M.; Diana, A. (2020). The ultrasonographic medullary “rim sign” versus medullary “band sign” in cats and their association with renal disease. Journal of Veterinary Internal Medicine 34(5): 1932-1939. Disponível em: <https://doi.org/10.1111/jvim.15878>

332 visualizações0 comentário