Atenção:

Esses valores só são úteis quando usados em combinação com outros recursos ultrassonográficos, como estratificação da parede e colocados no contexto das manifestações clínicas.

Os valores para Estômago são dependentes da distensão gástrica.



Medidas de referência para avaliações ultrassonográficas de paredes de estômago e alças intestinais em cães. As letras no alto de cada célula referem-se às referências utilizadas. As informações escritas em azul referem-se ao valor médio encontrado pelo estudo e seu desvio padrão (± DP). As informações escritas em vermelho referem-se ao valores mínimo e máximo encontrados no estudo

Referências

a. Stander et al. (2010) Vet Radiol Ultrasound 51(1):75-78

b. Gladwin et al. (2014) AJFR 75(4): 349-353

c. Penninck & d'Anjou (2015) Atlas of Small Animal Ultrasonography. Ed. Wiley-Blackwell

14 visualizações0 comentário

Apesar de compartilharem os mesmos órgãos abdominais, cães e gatos apresentam diversas características anatômicas e ecográficas distintas.


anatomia do baço de cão e gato
baço de cães e gatos

  • Gatos

Espessura ≤10 mm

Tamanho menos afetado por sedação ou anestesia

Veias esplênicas menos aparentes

Textura mais fina

  • Cães

O tamanho pode variar (aumenta muito com sedação, por exemplo)

A posição varia (depende do conteúdo gástrico, por exemplo)

Veias esplênicas podem ser vistas rotineiramente

Textura mais grosseira

  • Esplenomegalia

Cães: Maiores chances de estar associada a uma resposta fisiológica. Maior relevância clínica.

Gatos: Menores chances de estar associada a uma resposta fisiológica.



9 visualizações0 comentário

Faixa dinâmica ou Gama dinâmica é um controle presente nos aparelhos de ultrassom e se refere à faixa em amplitude (força) entre os ecos mais fortes e mais fracos detectados pelo transdutor.

Pensando no som audível: uma onda com alta amplitude é de um som alto (ex: barulho), enquanto uma onda com baixa amplitude é de um som baixo (ex: sussurrar).



Amplitude de ondas mecânicas
Esquemas mostrando padrões de ondas (amplitude e comprimento) com diferentes amplitudes (alta e baixa amplitude).

Quanto maior a faixa dinâmica, mais tons de cinza.

Fazendo uma analogia com os sons audíveis, uma pessoa com alta faixa dinâmica (DR) vai conseguir distinguir o mais alto som até o mais curto sussurro.

Já no aparelho de ultrassom, os “sons altos” são daqueles tecidos que retornam muito eco (hiperecoicos) e “sons baixos” são aqueles que retornam pouco eco (hipoecoicos).

Anecoico (“sem eco”): ocorre quando nenhuma onda de ultrassom é refletida de volta para o receptor. Portanto, todo líquido (urina, bile, sangue) são anecóicos (observa-se como preto). Pode-se utilizar o termo anecogênico ("gera / sem eco")

Hiperecoico (“muito eco”): ocorre quando todas ou quase 100% das ondas de ultrassom são refletidas de volta para o receptor (fica branco) . Assim, osso, minerais/metais e ar são refletores fortes, resultando em interfaces hiperecóicas. Também pode-se utilizar o termo hiperecogênico ("gera/ muito eco")

Hipoecóico ("menos eco"): ocorre quando graus variáveis das ondas de ultrassom são refletidos de volta para o receptor. Assim, todos os tecidos moles são descritos em relação a outros tecidos distintos; por exemplo, o fígado é hipoecóico (mais escuro que) em relação ao baço

Isoecóico (mesma ecogenicidade): ocorre quando os tecidos têm os mesmos tons de cinza. Por exemplo, se o fígado é isoecóico em relação ao pâncreas, eles têm a mesma ecogenicidade (mesmos tons de cinza). Igualmente, pode-se utilizar o termo isoecogênico.



77 visualizações0 comentário